terça-feira, 3 de junho de 2014

Evolução dos Empregados

Após a conclusão do levantamento da necessidade de pessoal, por meio do Plano de Capacidadeinicia-se o processo de contratação dos funcionários de acordo com o número sugerido.

O ciclo de vida do empregado na empresa tem uma estrutura semelhante à da figura 1, baseada no modelo Cadeia de Envelhecimento (Aging Chains) proposto por John Sterman no livro "Business Dynamics: Systems Thinking and Modeling for a Complex World".

No modelo de evolução dos funcionários pode-se mapear o crescimento das pessoas em suas carreiras, levando-se em consideração suas promoções e afastamentos desde a contratação até a aposentadoria. 

Durante esse ciclo há um atraso (delay) que faz com que o empregado demore certo tempo para passar da fase de empregado iniciante para empregado mais experiente. Há um outro delay também para o empregado mudar para a fase de mestre até que encerre sua carreira na empresa. O encerramento pode se dar também de forma prematura nas fases intermediárias. 

O modelo foi adaptado do original para permitir os afastamentos temporários dos funcionários, cuja consequência principal é um maior atraso em suas promoções, fazendo com que ele permaneça mais tempo em cada fase.

Figura 1 – Modelo de evolução dos empregados

A importância do modelo para a gestão nas organizações é a possibilidade de planejamento da reposição do quadro de funcionários, visto que ao longo do tempo as pessoas saem da empresa. O gráfico da figura 2 ilustra uma situação em que, na hipótese de não haver novas contratações, o quantitativo de pessoas tenda a cair bastante ao longo do tempo.

Figura 2 – Gráfico da evolução dos empregados

Na figura 1 utilizou-se Modelagem Dinâmica de Sistemas, partindo do macro para o micro, objetivando estudar a estrutura e o comportamento do sistema. O modelo da figura 3 retrata a mesma situação, porém, usando a Modelagem Baseada em Agentes. Ela parte do micro para o macro, estudando a emergência no sistema causada pela interação de um agente com os demais e o ambiente. Observa-se que o comportamento é o mesmo em ambos os modelos. 

Figura 3 – Modelo da evolução dos empregados por agente

Desta forma, eles permitem ao gestor efetuar diversas simulações até que se chegue a um número de contratações que, por meio da reposição do quadro de pessoal, possam manter a empresa com um quantitativo de funcionários adequado para a execução de seus serviços (fig. 4).


Figura 4 – Gráfico da evolução dos empregados com reposição


Confira a evolução dos empregados no vídeo: Evolução dos Empregados

Autores: Guttenberg Ferreira Passos e Ilan Chamovitz
Edição: Maristela Bretas

Nenhum comentário :

Postar um comentário