terça-feira, 1 de julho de 2014

Entendendo o XBRL - Parte 1: Linguagens de Marcação

Este é o primeiro artigo de uma série que postaremos aqui no blog para ajudar a compreender o funcionamento do XBRL. Para começar, vamos falar sobre a última letra da sigla, a letra "L", que representa a palavra "Linguagem", ou "Language" em inglês.

O XBRL, assim como diversos outros padrões da Internet, consiste em uma linguagem de marcação. Para compreender este conceito, é preciso conhecer um pouco o ramo das indústrias gráficas. Antigamente, quando se preparava algum material para ser impresso nas grandes máquinas de tipografia, haviam pessoas responsáveis por realizar anotações em uma folha de papel que servia de esboço para a impressão desejada. Estas anotações eram feitas destacando-se determinadas partes do texto para indicar o tamanho que o texto deveria ter, a fonte tipográfica que deveria ser utilizada, etc. Tais anotações eram chamadas de marcações. E como as marcações eram quase sempre as mesmas, este conjunto de termos dava origem a uma linguagem de marcação, linguagem esta que era entendida pelas pessoas do ramo.

Quando se começou a utilizar computadores para editoração eletrônica, foi preciso criar uma padronização para permitir a criação de linguagens de marcação semelhantes àquelas que existiam no mundo físico. Este esforço deu origem ao padrão SGML (Standard Generalized Markup Language - Linguagem Padrão Generalizada para Marcação), que permite descrever as regras de marcação que determinada linguagem irá aceitar.

Um dos mais famosos exemplos de uso do SGML é o HTML (HyperText Markup Language), que é a linguagem que permite realizar marcações de hipertexto (um texto que permite fazer referência a outro texto). O HTML é utilizado para a construção de sítios de Internet na World Wide Web (WWW). Assim, sempre que você acessa um sítio web com diversos formatos de fontes, cores, e etc., é porque o HTML está por trás, definindo todas estas opções de exibição. O HTML é uma linguagem que foi criada através das regras definidas no padrão SGML.

No segundo artigo (que está disponível aqui) iremos falar sobre outro componente da sigla XBRL, a letra "X".

Nenhum comentário :

Postar um comentário