quinta-feira, 3 de julho de 2014

Arquitetura Corporativa e Interoperabilidade – Camada de Tecnologia da Informação


Olá leitores da Comunidade Áreas de Integração!

No primeiro artigo dessa série, que trata de Arquitetura Corporativa e Interoperabilidade, foi proposto um Modelo de Conteúdo para Arquitetura Corporativa, seguido de uma abordagem sobre a relação entre Arquitetura Corporativa, Arquitetura Orientada a Serviços e Interoperabilidade. Os artigos seguintes detalharam as camadas de Negócios, Estratégia, Projetos e Processos, propostas para o Modelo de Conteúdo. Neste artigo abordaremos a Camada de Tecnologia da Informação, uma subdivisão do agrupamento de Recursos Organizacionais.


A Camada de Tecnologia da Informação organiza o conjunto de todas as soluções providas por recursos de computação que visam permitir a produção, armazenamento, transmissão, acesso, segurança e o uso e intercâmbio das informações. Esta camada, por sua vez, se subdivide em 3 conjuntos:

(1) Sistemas de Informação: Trata do conjunto de elementos lógicos que interagem entre si para processar e disseminar a informação de forma adequada. Conforme proposto no Modelo de Conteúdo, estes elementos estão organizados em 3 subconjuntos:

(1.1) Acesso e apresentação: relaciona os dispositivos, serviços e canais de acesso (navegador web, PDA, SMS, etc) que permitem aos clientes solicitar serviços e os dispositivos, serviços e canais de entrega (navegador web, SMS, e-mail, Web Service, correio postal, etc …) que a organização pode usar para oferecer serviços para o cliente após um pedido ser recebido.

A imagem a seguir retrata o relacionamento entre os canais de acesso e entrega durante uma interação típica com um sistema corporativo em uma organização governamental.

Nessa situação, o cliente acessa um Portal por meio de seu web browser (1 e 2). O Portal invoca o serviço (3) e uma resposta é enviada para o cliente de forma síncrona por meio do mesmo web browser acompanhado por uma notificação SMS por meio do Gateway SMS para o seu celular (4, 5 e 6).

(1.2) Aplicações: A camada de aplicações relaciona as aplicações de infraestrutura (serviços Web, SGBDs, serviços de arquivamento, serviços de telefonia, etc) e aplicações de negócios (Soluções de Colaboração, Gestão de Conhecimento, ECM, ERP, BPMS, etc) necessárias à execução dos processos nas unidades da organização. Os aplicativos desenvolvidos e executados pelas unidades baseados no uso de componentes reutilizáveis otimizam esforços em integrar os componentes definidos na arquitetura de referência.

(1.3) Dados: A camada de Dados do Modelo de Conteúdo da Arquitetura Corporativa, foca no gerenciamento dos dados que suportam as necessidades e requisitos das camadas de Aplicações e Processos. A camada de Dados também busca resolver problemas causados pelo desenvolvimento de sistemas baseados em silos, onde cada aplicativo mantém uma cópia dos dados e regras de processo sob medida para atender às necessidades locais de determinadas áreas. Resolver estas questões é fundamental para a prestação de serviços corporativos integrados, busca pela melhoria contínua e adaptação dos serviços em conformidade com as mudanças políticas que ocorrerem nas organizações governamentais. Entretanto, detalhar esta camada neste momento tornaria o artigo extremamente extenso. Futuramente poderemos abordá-la em maiores detalhes. Por ora, relacionaremos os 5 componentes chave requisitos para a definição de dados comuns a serem selecionados e destacados no Modelo de Conteúdo:

  • Metadados, gestão dos metadados e Modelo de Dados Corporativos: aplica regras, contexto e conhecimento de domínio de operações de negócios para as atividades de gerenciamento de metadados.
  • Troca e acesso a dados: núcleo do gerenciamento e funções de intercâmbio de dados que suporta os requisitos corporativos interáreas para fornecimento e uso padronizado de dados de Negócios e Operacionais autoritativos.
  • Armazenamento e persistência de dados: potencializa o armazenamento e a estrutura de dados para fornecer armazenamento de dados comuns, de forma compartilhada atuando como a principal forma de integração entre os processos eletrônicos, aplicações e serviços de negócios.
  • Extração, transformação e carga de dados: reúne, transforma e promove a carga de dados para os repositórios da camada de Dados.
  • Gerenciamento dos dados: Gerencia, mantém e recupera dados armazenados na camada de Dados.

(2) Integração: A camada de integração aborda a interconexão de todas as camadas do Modelo de Conteúdo da Arquitetura Corporativa. Os princípios seguidos são os de uma Arquitetura Orientada a Serviços (SOA). SOA define o uso de serviços para apoiar as necessidades de desenvolvimento de software. Seu objetivo é alcançar o baixo acoplamento entre agentes de software. Um serviço é uma unidade de trabalho realizada por um prestador de serviços (software) para alcançar resultados finais desejados para um consumidor de serviço. Estes serviços são unidos ou "orquestrados" para permitir que os usuários finais realizem eventos de trabalho padronizados. Isso automatiza o sistema e permite a interação focada no atendimento ao cliente final, em vez de exigir uma compreensão detalhada dos sistemas que realmente realizam a tarefa. A Camada de Integração discute três temas principais:

  • Coreografia de Serviços: define como os serviços intra e inter unidades serão compostos (regras de processos de negócios, monitoramento e gestão)
  • Bus Service: define a infraestrutura para integração de serviços e de aplicação (serviços web, mensagens, roteamento, operações, transformação, etc .)
  • Adaptadores: descreve os conectores necessários para permitir a interoperabilidade entre back-ends heterogêneos

Uma representação gráfica dos componentes citados até aqui é visualizada a seguir. A figura mostra que quanto mais abaixo da pilha arquitetural um serviço reside, mais agnóstico deve ser o canal, ou seja, os dados devem ser mantidos em um formato que seja disponibilizado a qualquer canal sem restringir a sua exibição em qualquer dispositivo ou aplicação de apresentação. Por outro lado, quanto mais acima da pilha arquitetural, mais é exigido um canal específico uma vez que os dispositivos de acesso estão em interação direta com a camada.

(3) Infraestrutura Tecnológica: Essa camada contém os componentes da plataforma base (sistema e hardware de rede e sistemas operacionais) que permitem o funcionamento adequado de todas as outras camadas do Modelo, no que se refere ao uso de Tecnologia da Informação e Comunicação. 

A camada de infraestrutura tecnológica consiste em duas áreas:

  • Componente de rede: O componente de rede refere-se a conectividade específica e limites de segurança para comunicações internas e externas (LAN, WAN, gateways, redes de voz, acesso móvel, etc ..). É baseado em componentes padronizados que podem ser reutilizados e aplicados em diferentes unidades da organização, ou mesmo entre organizações diferentes.
  • Componente da plataforma: define o conjunto de padrões tecnológicos que permitem que aplicativos de software e dispositivos de hardware executem e operem como uma unidade ou ambiente de gerenciamento interconectado (servidores, dispositivos, periféricos, armazenamento, etc ..). Um componente da plataforma refere-se a uma configuração específica de hardware e sistemas operacionais e inclui outros softwares, de suporte do sistema, necessários para o desenvolvimento e operação de Estações de Trabalho e dispositivos móveis como Notebooks, Tablets, Smartphones e telefones celulares.

A padronização de tecnologias interoperáveis e tipos de produtos é recomendada, permitindo:

  • Um modelo de suporte reduzido
  • Melhoria no conhecimento dos produtos
  • Custos de integração e desenvolvimento reduzido e aumento na velocidade de implementação
  • A retenção de competências

No próximo artigo continuaremos abordando o agrupamento de Recursos Organizacionais, tratando da Camada de Infraestrutura Física.



Deixe suas opiniões!

Nenhum comentário :

Postar um comentário