quarta-feira, 5 de novembro de 2014

e-PING +RIO - Uma experiência municipal - Parte I

A Arquitetura de Padrões Tecnológicos e de Interoperabilidade da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro (e-PINGRIO) tem como inspiração e referência os padrões e políticas consolidadas na arquitetura promovida pelo Governo Federal, e-PING (Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico), com o objetivo de atender a realidade e necessidades da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro (PCRJ).


 

A implantação de políticas para a padronização tecnológica se mostra imprescindível quando observamos que o cenário atual de TIC instalado no ambiente da PCRJ, considerável parque tecnológico com alta diversidade de tecnologias, tornando-se um desafio cada vez maior para manter o legado instalado, atender novas necessidades de negócio, principalmente no que tange a transparência e a inovação na prestação dos serviços ao cidadão.



A Arquitetura de Padrões Tecnológicos da PCRJ, alinhado a e-PING, do Governo Federal, possibilita a elaboração de políticas que aperfeiçoarão a administração dos recursos de TIC utilizados na PCRJ, sustentadas por um modelo de governança que permitirá, continuamente, realizar as atualizações necessárias à qualidade dos serviços, absorvendo de forma planejada as pressões geradas pela evolução tecnológica e sem os prejuízos gerados pela obsolescência.

O escopo da e-PINGRIO compreende a manutenção do modelo de governança para padrões tecnológicos, a elaboração de políticas e especificações técnicas claramente definidas para interoperabilidade e melhor gerenciamento dos recursos tecnológicos e informações de forma a propiciar a conexão do governo, tanto no âmbito interno como no contato com a sociedade.  Além de prover o conhecimento adequado aos colaboradores da organização sobre os padrões e processos internos, propiciando um suporte para a melhoria continua e inovação.


Enfim, fica evidente que o direcionamento e caminho que leva uma Prefeitura a excelência na prestação de serviços ao cidadão passa obrigatoriamente pela promoção da interoperabilidade, pela racionalização das aquisições e da melhor utilização da infraestrutura tecnológica.

No próximo artigo falaremos sobre a estruturação da e-PINGRIO  e o modelo de governança adotado.

2 comentários :

  1. Para o órgão em questão, trará melhoria e agilidade nos processos eletrônicos com uma maior e melhor interação com as demais instituições públicas, bem como melhorias na utilização das informações tecnológicas. Já para os cidadãos uma maior agilidade e transparência nos processos e serviços eletrônicos, e consequentemente uma melhoria no serviço prestado. Ou seja, com a padronização tecnológica todos saem ganhando!

    ResponderExcluir