quarta-feira, 28 de maio de 2014

BPM e Melhoria Contínua





BPM é uma disciplina habilitadora de gestão de processos e como tal, agrega uma série de técnicas capazes de atuar continuamente no processo de negócio, de modo a utilizar os recursos de forma mais eficiente e direcionar seus resultados para o alcance do objetivo perseguido, alinhando o processo às diretrizes estratégicas da organização, gerando um ciclo PDCA.

Não é minha pretensão aqui explicar todas as técnicas disponíveis para intervenção nos processos de negócio, mas tornar mais clara a forma como o BPM pode atuar para a melhoria contínua dos seus processos ponta-a-ponta.

Para o correto entendimento do que acabamos de descrever é necessário esclarecer o que afinal é um processo de negócio.

Processo de negócio é a reunião de recursos (humanos, tecnológicos, infra-estrutura etc.), norteada por direcionadores (regras de negócio, legislação, controles, valores) com o objetivo de transformar (agregar valor) insumos (matéria-prima, informação, etc) em produtos e serviços. De forma mais simples temos: Entradas, Recursos, Direcionadores, Transformação e Saídas.




É precisamente nessas dimensões que o BPM atua para a melhoria contínua do processo de negócio.

Entradas

Os insumos devem estar disponíveis na medida e no momento certo para alimentar o  processo.

Recursos Habilitadores

Os profissionais, na proporção adequada, devem ter conhecimento, habilidade e atitude (CHA) para lidar com o processo;  ter disponíveis a infra-estrutura e tecnologia adequadas (sistemas, hardware, software) para atuar corretamente na transformação do processo.

Direcionadores de Negócio

As atividades desenvolvidas no processo de negócio obedecem a uma série de regras, legislações, controles, valores. Esses direcionadores devem estar sempre atualizados, evitando regras e legislações caducas, controles mal construídos, mal comunicados, demasiados ou escassos.

Transformação

A análise do fluxo de atividades do processo deve verificar se há gargalos, atividades que não agregam valor, excessivos handoffs (passagem de bastão), retrabalhos, duplicidade de responsabilidades, muitos contatos com o cliente, oportunidade de automação.

Saídas

O produto ou serviço deve ser entregue dentro do prazo e cumprir as expectativas do cliente, buscando-se minimizar a variabilidade e defeitos.

Analisadas as dimensões do processo de negócio, utilizando-se as técnicas e boas práticas do BPM, os ganhos serão surpreendentes, principalmente quando se trata de Serviço Público.

Semana que vem veremos como o BPM pode ajudar na luta contra um mal que assola nosso país: a Corrupção. Ate lá!

2 comentários :

  1. Prezado Hebert,
    Por gentileza referencie o nosso trabalho que estamos fazendo desde 1984 com VPML e desde 2008 com o VBPMN com os autores CristianeC. Gattaz e Fuad G. Sobrinho em que estes conceitos foram publicados, caso contrário configuraria plágio e não seria bom. Grato

    ResponderExcluir
  2. Esclareço que nao existe exclusividade sobre os conceitos de BPM. Tais conceitos são baseados no CBOK 3.0, que o presente autor contribuiu para a redação final, como membro da ABPMP. Desta forma, nao ha que se falar em plagio quando se divulga os conceitos ali explorados. Lamento que o autor do comentário, que aparentemente se dedica a esta área de conhecimento, não tenha se identificado para que possamos trocar experiências, afinal o que se busca aqui é a disseminação de conhecimentos para engrandecimento das organizações públicas e privadas.

    ResponderExcluir