quarta-feira, 18 de março de 2015

e-PING +RIO - Uma experiência municipal - Parte II

Dando continuidade a e-PING +RIO - Uma experiência municipal - Parte I) vamos tratar neste post um pouco sobre a estruturação da e-PINGRIO.
A arquitetura e-PINGRIO foi racionalizada em segmentos que abrangem 6 (seis) áreas temáticas definidas para interoperabilidade, gerenciamento de informações e convergência tecnológica, são elas: 
  • Interconexão – Comunicação de dados;
    • Estabelece as condições para que os órgãos da Prefeitura do Rio de Janeiro se interconectem, permitindo a troca de informações de forma transparente, além de fixar as condições de comunicação entre governo e sociedade.
  • Segurança de TIC;
    • Define padrões relacionados à segurança de TIC, com objetivo de reduzir os riscos, proteger contra ameaças e garantir a integridade, confidencialidade, disponibilidade e autenticidade dos dados e informações.
  • Dispositivos de Acesso – Dispositivos utilizados pelos usuários;
    • Define padrões relacionados aos dispositivos utilizados por usuários para acesso aos serviços eletrônicos e sistemas de informação, com objetivo de garantir a qualidade do parque tecnológico instalado.
  • Organização e Intercâmbio de Informações – Arquitetura de informação;
    • Aborda os aspectos relativos ao tratamento e à transferência de informações nos serviços de governo eletrônico e define padrões para integração de dados entre sistemas e serviços eletrônicos, com objetivo de estabelecer as condições para o intercâmbio de informações entre órgãos da prefeitura, demais governos e sociedade.
  • Arquitetura de Soluções – Padrões relacionados ao desenvolvimento de soluções;
    • Define padrões relacionados a desenvolvimento de soluções, com objetivo de garantir o desempenho e qualidade dos serviços eletrônicos oferecidos pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.
  • Recursos Tecnológicos – Recursos instalados no Data Center;
    • Define padrões relacionados recursos tecnológicos instalados no Datacenter da IplanRio, com objetivo de garantir o desempenho e qualidade dos serviços eletrônicos suportados pela infraestrutura.
A segmentação facilita em muito a busca dos padrões e flexibiliza o gerenciamento da arquitetura tornando-a adaptável a diferentes cenários e objetivos da gestão municipal.

No próximo artigo falaremos sobre o modelo de governança adotado na Arquitetura e-PINGRIO.


Nenhum comentário :

Postar um comentário