terça-feira, 17 de março de 2015

Alinhamento das ações aos pilares da Governança Corporativa – Parte 1

A partir dessa semana abordaremos uma série de ações existentes e seus relacionamentos aos preceitos da governança corporativa. As ações de grande porte são voltadas para a melhoria da gestão e governança nas organizações públicas. 

O Modelo de Responsabilidade Organizacional se apresenta como uma dessas iniciativas, tendo como ênfase os problemas relacionados à gestão por resultados visando à melhoria dos serviços públicos prestados.

O modelo está em consonância com o segmento Áreas de Integração para o Governo Eletrônico da ePING, que estabelece a padronização de especificações técnicas para sustentar o intercâmbio de informações em áreas transversais da atuação governamental, de forma a buscar a interoperabilidade de serviços de Governo Eletrônico Brasileiro.

Para mapear a convergência das ações aos pilares da governança corporativa foi desenvolvido um modelo constituído de dois componentes: elementos e conexões.

Os elementos são conceituados de acordo com sua especificidade e são relacionados a outros elementos por intermédio de conexões.

As conexões são estabelecidas de acordo com o elo de ligação entre os elementos identificados nas ações objeto dessa avaliação.

O modelo de alinhamento das ações de governança pode ser acessado em: https://kumu.io/Guto/Governanca

O mapa com o alinhamento do Modelo de Responsabilidade Organizacional foi desenhado de acordo com a figura 1.

Figura 1 – Mapa do alinhamento da ação à Governança Corporativa

O mapa destaca as seguintes conexões das Etapas do Modelo de Responsabilidade Organizacional com outros elementos:
  • Cadeia de Valor, 
  • Gestão,
  • Mecanismo Estratégia - TCU,
  • Pessoas TI - TCU, 
  • Governança de Pessoas,
  • Gestão de Riscos,
  • Institucionalização das Estruturas, 
  • Sociedade,
  • Ação Organizacional,
  • Processos TI – TCU,
  • ITIL. 

As conexões com esses elementos são descritas a seguir.

Cadeia de Valor

A Cadeia de Valor é uma representação gráfica de como a empresa se organiza para gerar valor ao cliente.

O modelo permite identificar os processos críticos e de relevância estratégica da organização que entregam valor aos clientes.

Gestão

A Gestão é inerente e integrada aos processos organizacionais, sendo responsável pelo planejamento, execução, controle, ação, enfim, pelo manejo dos recursos e poderes colocados à disposição de órgãos e entidades para a consecução de seus objetivos.

O modelo permite compartilhar melhor a gestão por resultados na organização.

Mecanismo Estratégia – TCU

Para que as funções de governança (avaliar, direcionar e monitorar) sejam executadas de forma satisfatória, de acordo com a ação “Governança Publica - Referencial Básico de Governança” do TCU, alguns mecanismos devem ser adotados: a liderança, a estratégia e o controle. A cada um dos mecanismos de governança foi associado um conjunto de componentes que contribuem direta, ou indiretamente, para o alcance dos objetivos. O componente Estratégia Organizacional do Mecanismo Estratégia destaca:
o papel fundamental atribuído às organizações públicas é o de, por meio dos serviços prestados, ampliar, de forma sistêmica e integrada, o bem estar social e as oportunidades aos cidadãos. Para cumprir bem sua função, a administração pública deve possuir os recursos adequados e o capital humano necessário de modo a atuar com eficácia, eficiência, efetividade e economicidade em benefício da sociedade. 
A etapa Plano de Capacidade identifica essa força de trabalho adequada.

Pessoas TI - TCU

Para avaliar a situação de governança de TI na Administração Pública Federal, o Tribunal de Contas da União – TCU tem realizado levantamentos baseados em questionários que abordam práticas de governança e de gestão de TI previstas em leis, regulamentos, normas técnicas e modelos internacionais de boas práticas.

O trabalho foi conduzido pela Secretaria de Fiscalização de Tecnologia da Informação (Fiscalização 97/2014).

Subsídio às atividades de fiscalização do TCU, alem de prestar informação às organizações participantes, da avaliação individualizada de governança de TI e da comparação com os resultados consolidados de seu segmento de atuação, para indução do aperfeiçoamento de sua governança e dos processos de gestão de TI. 

A Dimensão Pessoas avalia os controles da gestão de pessoas em TI, por meio de 3 questões. As duas primeiras abordam práticas relativas ao desenvolvimento de competências de TI e ao desempenho do pessoal de TI. A última buscou avaliar o quanto a gestão da TI está nas mãos de pessoal pertencente ao quadro permanente da organização, por meio da distribuição da força de trabalho de TI da organização.

A etapa Evolução dos Empregados mapeia o crescimento das pessoas em suas carreiras, levando-se em consideração suas promoções e afastamentos desde a contratação até a aposentadoria.

A etapa Experiência dos Empregados sugere que a empresa forneça a estrutura de capacitação que subsidie a experiência adequada para que as pessoas executem corretamente suas atividades.

Governança de Pessoas

Governança de Pessoas é um conjunto de mecanismos de avaliação, direcionamento e monitoramento da gestão de pessoas para garantir que o capital humano agregue valor ao negócio da organização, com riscos aceitáveis.

A etapa Plano de Capacidade direciona a real necessidade de capital humano na organização para subsidiar a tomada de decisão.

A etapa Evolução dos Empregados direciona o quantitativo de pessoas para a  reposição do quadro de funcionários para subsidiar a tomada de decisão.

A etapa Experiência dos Empregados direciona o planejamento da capacitação a ser ministrada na companhia.

Gestão de Riscos

A gestão de riscos e de desempenho organizacionais para garantia da melhor entrega de serviços públicos é um dos princípios do Instituto Brasileiro de Governança Pública – IBGP.

A etapa Qualificação da Demanda permite mitigar os riscos na entrega dos serviços aumentando a qualidade.

Institucionalização das Estruturas


A institucionalização das estruturas, papeis e direitos decisórios das organizações públicas é um dos princípios de governança do Instituto Brasileiro de Governança Pública – IBGP.


A etapa Qualificação da Demanda permite distribuir os papeis às pessoas com o conhecimento necessário para lidar com a complexidade da demanda e estabelecer a estrutura adequada à prestação do serviço.


Sociedade


Sociedade é um conjunto de seres que convivem de forma organizada. A palavra vem do Latim societas, que significa "associação amistosa com outros".


O modelo distribui a responsabilidade na execução das atividades para todas as áreas da empresa visando à melhoria dos serviços prestados à sociedade.


Ação Organizacional


A ação organizacional com foco na otimização do dispêndio de recursos públicos é um dos princípios de governança do Instituto Brasileiro de Governança Pública – IBGP.


A etapa Otimização da Produtividade estabelece uma relação entre a demanda por serviços e a produtividade das pessoas na execução das atividades, permitindo alcançar a melhor relação custo/benefício.


Processos TI – TCU


A dimensão Processos TI do Relatório de Levantamento de Governança de TI do TCU refere-se aos controles da gestão de processos em TI, sendo estruturada em questões e práticas. Uma das questões aborda o Processo de Gerenciamento de Níveis de Serviços.

A etapa Acordos de Nível Operacional destaca esse Processo por ser responsável por garantir a qualidade dos serviços entregues aos clientes.

ITIL


Information Technology Infrastructure Library é um conjunto de boas práticas a serem aplicadas na infraestrutura, operação e manutenção de serviços de tecnologia da informação.

As etapas Acordos de Nível Operacional Loops dos OLAs entre Áreas abordam algumas disciplinas do ITIL.


O Mapa do alinhamento da ação à Governança Corporativa destaca a interoperabilidade, que pode ser entendida como uma característica que se refere à capacidade de diversas organizações trabalharem em conjunto de modo a garantir que pessoas, organizações e sistemas computacionais interajam para trocar informações de maneira eficaz e eficiente.


No próximo artigo abordaremos o Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização – Gespública.


Nenhum comentário :

Postar um comentário