quinta-feira, 20 de março de 2014

Sobre o Seminário e-PING (02)




Novos elementos direcionadores, trazendo a expectativa da mudança e o que está sendo discutido no processo de repensar a e-PING, puderam ser identificados nas falas dos representantes do Governo durante o Seminário Áreas de Integração para o Governo Eletrônico.

Gilberto Paganotto, Diretor-Superintendente do SERPRO, em sua fala de boas vindas, reafirma a importância da interoperabilidade para a Administração Pública Federal e ressalta que padrões são úteis para melhorar a qualidade dos serviços prestados para o governo e os cidadãos.

Representantes do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, coordenadores e suplentes dos grupos de trabalho que compõe o GT 5 – Áreas de Integração para o Governo Eletrônico, evidenciando uma visão altamente convergente, fizeram registros importantes em suas apresentações, entre eles:

- a necessidade de uma gestão quanto à implementação de padrões e a importância que as plataformas de integração e interoperabilidade do Governo sejam somente uma aos olhos do cidadão (Nazaré Bretas, Secretaria Adjunta da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação – SLTI/MP)

- a importância do alinhamento entre os atores envolvidos nos Projetos Estratégicos para um desenvolvimento harmônico no Governo, tendo o monitoramento dos projetos o foco de garantir a aderência aos objetivos do Governo e o aporte do ferramental adequado para o seu desenvolvimento (Elise Gonçalves, representando o Chefe da Assessoria Especial de Modernização da Gestão – ASEGE/MP)

- a importância da qualidade do dado para a qualidade dos aplicativos e suas informações, sendo uma condição premente resolver as diversas ambigüidades existentes entre os órgãos e seus sistemas, para que se possa contar com serviços eletrônicos de maior qualidade (Miram Chaves, Diretora de Programas da Secretaria Executiva – SE/MP)

- o entendimento que o novo desafio da e-PING é constituir um referencial para os Órgãos sobre padrões, projetos e iniciativas de interoperabilidade, bem como que a Arquitetura de Referencia deverá ser a plataforma de interoperabilidade do Governo (Hudson Mesquita, representando o Diretor de Governo Eletrônico – DGE/SLTI)

- a certeza que os serviços públicos podem ser qualificados a partir de quatro grandes blocos (tempo, espaço, atenção e recursos), devem contar com a visão da participação dos diversos atores envolvidos e considerar que as atividades-meio não precisam ser publicadas, mas devem ser consideradas nesta visão (Alexandre Kalil, Coordenador-Geral na Secretaria de Gestão Pública – SEGEP/MP)

- a percepção que as discussões em relação a padrões e integração avançam, a participação se amplia e mercado e governo se aproximam, tendo como objetivo comum fazer acontecer a interoperabilidade (Marcus Vinicius, Coordenador GT 5 e-PING e Coordenador de Projeto na Coordenação Estratégica de Tecnologia – CETEC/SERPRO)

A TEMA, revista publicada pelo SERPRO, apresenta em sua edição de fevereiro de 2014 um artigo sobre a Evolução da e-PING.  Leia aqui o artigo da página 42.




Nenhum comentário :

Postar um comentário