Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2017

O FACIN na prática com o Projeto GEO - Parte 3

No post anterior abordamos os padrões TOGAF, ArchiMate e o Modelo de Conteúdo do FACIN, insumos utilizados na Oficina FACIN-ABEP realizada pelo Serpro em parceria com a Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação (ABEP). A oficina foi realizada com base em uma dinâmica de Análise de Cenário, compreendendo as atividades de identificação do problema, modelagem, análise e construção dos cenários atual e proposto (solução do problema). Nesta postagem iniciamos a aplicação da dinâmica no cenário levantado pela PRODEMGE para implantar uma solução corporativa de geoprocessamento no Estado de Minas Gerais, aqui identificada apenas como Projeto GEO. A figura 1 aborda o detalhamento da visão Estratégia do Projeto GEO utilizando o Framework de Arquitetura Corporativa para Interoperabilidade e Apoio à Governança (FACIN).


Figura 1: Detalhamento da visão Estratégia do Projeto GEO
·Descrição do problemaOs diversos órgãos do Estado de Minas Gerais trabalham com i…

O FACIN e o Decreto Federal 9.094

O colega Thiago Ávila publicou em seu post aqui nesta comunidade algumas ponderações sobre o Decreto Federal 9.094/2017 que “Dispõe sobre a simplificação do atendimento prestado aos usuários dos serviços públicos, ratifica a dispensa do reconhecimento de firma e da autenticação em documentos produzidos no País e institui a Carta de Serviços ao Usuário“.
Nada nessa vida é perfeito, mas em geral o Decreto trás um grande valor ao “simplesmente determinar“ a “aplicação de soluções tecnológicas que visem a simplificar processos e procedimentos de atendimento aos usuários dos serviços públicos e a propiciar melhores condições para o compartilhamento das informações”.
Claro que já existem iniciativas que vão a este encontro como o Portal de Serviços do Governo Federal (www.servicos.gov.br) e o desenvolvimento da Plataforma de Cidadania Digital, além da definição do Simplifique! onde o usuário pode apresentar uma solicitação de simplificação de um determinado serviço público quando este serviço…

A mineração de processos e os sistemas legados

No post desta semana volto ao tema da Mineração de Processos com uma outra abordagem. Anteriormente falei da Mineração de Processos aplicada à modelagem e otimização de processos de negócios. Agora, falo da aplicação desta técnica no tratamento de um problema bastante comum em projetos de TI que envolvem a revisão ou integração de sistemas legados.
Em organizações de médio e grande porte que operam há várias décadas, os sistemas legados constituem grandes repositórios de códigos de programação que foram desenvolvidos e alterados ao longo do tempo por diversas equipes diferentes. Frequentemente as pessoas originalmente envolvidas não estão mais disponíveis e a documentação, quando existe, não é adequada para que os não iniciados consigam adquirir o conhecimento necessário em um prazo e esforço viáveis para o projeto.
Substituir ou atualizar esses códigos assegurando o tratamento adequado das regras de negócio que estão embutidas neles é uma atividade de alto custo e risco para as organ…

As nove Visões do FACIN - Parte 2 – Governança, Riscos e Conformidades

Olá leitor!
No artigo anterior, o primeiro dessa nova série, apresentamos uma visão geral dos documentos atuais que compõem o Framework de Arquitetura Corporativa para Interoperabilidade no apoio à Governança (FACIN). A partir de hoje abordaremos, em maiores detalhes, cada uma das visões que constituem o framework, iniciando pela Visão de Governança, Riscos e Conformidades (GRC).
Primeiramente, vamos tratar desses 3 aspectos:
Governança e gestão são funções complementares. Enquanto a gestão faz o manejo dos recursos colocados à disposição da organização e busca o alcance dos objetivos estabelecidos, a Governança refere-se ao desenvolvimento de políticas e procedimentos, à definição de responsabilidades e também à criação de diretrizes para orientar as pessoas e os processos da organização. A governança visa coordenar as diversas gestões das organizações governamentais em torno de um objetivo comum e garantindo transparência e equidade para todas as partes interessadas.Os Riscos repres…

Arquitetura Corporativa não deve ser Decorativa

Por definição, Arquitetura Corporativa é um conjunto de plantas, digo, de modelos que descrevem uma organização.
Mas, é importante ter em mente que, Arquitetura Corporativa não pode ser como um quadro que se prende na parede e passa a ser visto apenas como um lindo objeto de decoração. O problema é que, se não tomarmos cuidado, é exatamente isso que acabará acontecendo.
O que vemos acontecer na realidade são empresas contratando consultorias para criar sua Arquitetura Corporativa. A consultoria, então, realiza o seu trabalho e entrega o Documento de Definição da Arquitetura[1] (DDA), conforme sugerido pelo TOGAF.
A empresa recebe o DDA e.... e!?!?! e???? o “dependura na parede”!!!! No dia seguinte esse DDA já está desatualizado e, infelizmente, o investimento para a sua criação acabará sendo perdido.


Como evitar que Arquitetura Corporativa se torne um adereço de decoração?

A resposta pode parecer óbvia, mas a realidade nos mostra que nem sempre o que é óbvio é que é feito. A chave pa…